URBANISMO E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

Postado por e arquivado em DISTRITOS, PINDAÍBAS.

Todo cidadão gosta de ver e viver em uma comunidade bem cuidada, limpa e organizada. O urbanismo é essencial. Desde a mais remota antiguidade o homem procurou ter estes cuidados. As vias eram calçadas e a sua estrutura estética com apresentação agradável. Nos dias de hoje, pelo que nos parece, os homens tornaram-se mais exigentes.

Os moradores de Pindaíbas anseiam pela rodovia asfaltada até à sua porta. São pouquíssimos quilômetros que faltam da LGM-743 até à Vila.

A Vila, no entanto, tem a maioria das ruas asfaltadas desde 1992. Esse fato proporcionou melhor qualidade de vida para os habitantes. Eles querem mais. Desejam que o asfalto cubra 100% da área urbana.

A prestação de serviço bancário é necessária para qualquer cidadão. Facilita muito a vida, tanto para receber como para efetuar pagamentos. A Vila de Pindaíbas ainda não comporta uma agência bancária, mas a população tem o atendimento de um posto bancário da Credipatos, desde 2005.

Pindaíbas foi a primeira comunidade do interior do município a receber os benefícios do serviço telefônico moderno. A CTBC – concessionária do serviço fixo de telefone de Patos de Minas – em 27 de março de 1970 instalou o telefone tanto na área urbana do distrito como em algumas propriedades rurais. E já com o serviço de interurbano.

Quanto aos Correios, existe o posto da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos atendendo a comunidade desde a década de 1980, sob a responsabilidade da Escola Municipal “José Paulo de Amorim”, com distribuição 3 vezes por semana.

A primeira estrada de Pindaíbas foi aberta, na década de 1940, por Manoel Lopes, com ajuda dos moradores da região, usando de picaretas, enxadas e enxadões. Foi até ao Ranchinho. Daí já seguiu pelos caminhos abertos para o Leal e Chumbo. A primeira jardineira que ligou o povoado a Patos de Minas era de propriedade da família Almeida, tendo como primeiro motorista Argemiro Almeida e cobrador Zico Lopes. Simultaneamente, trafegava Zeca da Landica, com caminhão adaptado. Mais tarde, a concessão passou para o Expresso São Geraldo, que continua prestando os seus serviços.

Em 1969, Acir Marques levou alguns aparelhos de TV, preto e branco, para ficar em exibição, como propaganda, para os habitantes. Depois de alguns dias voltou para ver se haveria comprador. O povo se aglomerava na casa do Belmiro, do Levindo e do Antônio Dandão para ver a novela “Jerônimo, um herói do sertão”. Foi uma festa. Todos se interessaram pelo seriado enquanto a população masculina demonstrava maior interesse pelo futebol e pelo noticiário. A criançada, por sua vez, ficava à procura de programa à altura de sua idade. Hoje, é comum o aparelho de televisão a cores em todas as casas.

* Fonte e foto: Patos de Minas, Meu Bem Querer, de Oliveira Mello.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

captcha

Please enter the CAPTCHA text